norelem: mais de 70.000 peças normalizadas
Informação profissional para a indústria metalomecânica portuguesa
Augmanity já executou cerca de 6 milhões de euros de investimento e contou com a participação de mais 200 investigadores

Bosch e Universidade de Aveiro apresentam primeiros resultados do projeto de inovação na indústria 4.0

13/07/2022
Projeto Augmanity implementa tecnologia 5G na indústria portuguesa.
foto

A Bosch em parceria com a Universidade de Aveiro (UA), entre outras entidades do sistema científico nacional e empresas, apresentou os resultados da primeira fase do projeto mobilizador Augmented Humanity (Augmanity), no âmbito do qual têm vindo a ser desenvolvidas soluções e tecnologias inovadoras que visam potenciar uma maior competitividade na indústria e produção em Portugal. Até ao momento o projeto Augmanity executou cerca de 6 milhões de euros do total planeado (8.2 milhões de euros), e contou com a participação de mais 300 pessoas participantes e 200 investigadores.

A Bosch é a líder do consórcio deste projeto, constituído por diversas empresas nacionais e internacionais, entre as quais AAPICO, Altice Labs, Atena, Critical Manufacturing, EPL, Globaltronic, GroundControls, Huawei, ICC Lavoro, IKEA Industry, Microplásticos e OLI, e em conjunto com estes parceiros apresentou como resultado desta primeira fase do projeto, um enorme desenvolvimento ao nível do 5G. A localização da Bosch em Aveiro foi uma das primeiras fábricas em Portugal com uma rede 5G nativa (toda a rede conta com equipamento inovador desenhado exclusivamente para 5G), que tem permitido à empresa testar a tecnologia em chão de fábrica. Ainda na área do 5G, os resultados das experiências recolhidas neste projeto de inovação têm também permitido a vários parceiros avançar com oferta de produtos preparados para a indústria.
Toda a rede 5G de chão de fábrica foi especificada em parceria com o Instituto de Telecomunicações da Universidade de Aveiro e a Altice Labs, estando esta última a desenvolver um equipamento especializado na adaptação dos protocolos de comunicação das máquinas industriais, permitindo a sua integração na rede 5G do chão de fábrica, independentemente da sua geração. Os espectro rádio de 5G utilizado no projeto é disponibilizado pela Altice.

Soluções inovadoras nas áreas da robótica, analítica e realidade aumentada

Outra área em destaque é a da robótica, tendo sido alcançados resultados muito promissores no desenvolvimento de uma célula colaborativa preparada na Universidade de Aveiro, cujo arranque de testes industriais está previsto para os próximos meses. Na área analítica, o projeto Augmanity conta já com processos implementados com recurso a machine learning, que permitem dotar as máquinas de capacidade de autodiagnóstico, ou seja, as máquinas ganham a capacidade de propor intervenções técnicas de forma a evitar possíveis paragens por avaria, recorrendo a tecnologias de Internet das Coisas Industrial, muitas vezes com recurso a 5G. Além disso, destes primeiros resultados fazem também parte várias provas de conceito de utilização de realidade aumentada para auxílio à produção através de instruções avançadas no chão de fábrica.
Ainda na área analítica, destaque também para a plataforma desenvolvida pela Universidade de Aveiro, que se encontra igualmente num grau de maturidade muito elevado, tendo sido já implementada noutras empresas que podem assim tirar partido de toda a inteligência que permite otimizar os respetivos processos industriais. De realçar que este é um dos primeiros projetos de indústria 4.0 que tem na sua organização a participação de uma escola de saúde, nomeadamente a Escola de Saúde da Universidade de Aveiro, de forma a otimizar a utilização da tecnologia em proveito das condições de trabalho dos colaboradores. Toda a tecnologia desenvolvida conta adicionalmente com o suporte de uma inovadora plataforma de gestão de pessoas no chão de fábrica, desenvolvida pela própria Bosch Termotecnologia com a participação da Universidade de Aveiro, Instituto Fraunhofer Portugal, IKEA Industry e OLI, cobrindo todas as dimensões, desde as competências, formação, segurança e saúde ocupacional, e otimização da adequação do colaborador à função desempenhada por análise holística de todas as dimensões relevantes.

Augmanity: tecnologias inovadoras para a I4.0 com foco nas pessoas

“O Projeto Augmanity explora diversas tecnologias chave para a transição digital na indústria, mas numa perspetiva inovadora, em que o foco está no ser humano. Este foco advém de um paradigma onde cada vez mais as novas tecnologias devem ser inclusivas pela sua facilidade de utilização, independentemente da sua sofisticação. Até porque se em todo o mundo ocidental estamos confrontados com o envelhecimento da população ativa, isso remete-nos para a necessidade de assegurar condições propícias à adoção tecnológica, independentemente da faixa etária dos utilizadores, nomeadamente em ambiente industrial”, explica Nelson Ferreira, responsável Internacional Indústria 4.0 na Bosch em Aveiro. Adicionalmente, o projeto Augmanity revela ainda o potencial do uso de novas tecnologias na prevenção de doenças profissionais, nomeadamente doenças músculo-esqueléticas, uma dimensão é considerada de enorme potencial, ao assegurar uma maior produtividade a médio e longo prazo, por contribuir, por exemplo, para a redução do absentismo.
“Os projetos de investigação em parceria entre a Academia e a Indústria têm permitido obter excelentes resultados em termos de inovação, os quais são depois colocados ao serviço da comunidade”, refere Artur Silva, vice-reitor para a investigação e inovação da Universidade de Aveiro. “Estes projetos resultam de desafios colocados pela indústria que, depois, em colaboração com os investigadores da Academia, tirando partido das suas investigações em ciência fundamental, os conseguem resolver. São parcerias em que ambos os parceiros e a sociedade ganham”, salienta ainda. Quanto ao projeto Augmanity, o Vice-reitor considera-o “mais um dos projetos que resulta da crescente ligação e colaboração entre a Universidade de Aveiro e a Bosch, entre outras empresas relevantes no contexto nacional e internacional, e que contribuirá seguramente para encontrar soluções inovadoras para diversas áreas da indústria 4.0.”, aponta.

“O Augmanity constitui um exemplo de como a parceria entre a indústria e a academia desempenha um papel fundamental enquanto fator de competitividade para o futuro. Na Bosch estamos muito satisfeitos com a sua dimensão tecnológica e estratégica, que confirma que este é efetivamente um projeto “mobilizador” e com um impacto muito significativo na indústria nacional, quer a nível dos processos industriais, quer até mesmos dos processos de negócio”, reforça Nelson Ferreira.

Recorde-se que o Projeto Mobilizador Augmented Humanity está organizado com base em cinco grandes áreas tecnológicas, nomeadamente Ergonomia Industrial e Robótica, Data Science, IIoT/5G, Visão Artificial, Realidade Virtual e Aumentada e a vertente de Recursos Humanos em ambiente i4.0.

Este projeto é financiado pelo Portugal 2020 no âmbito do POCI e pelo FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional), tem a duração de três anos e data de conclusão prevista para junho de 2023.

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

intermetal.pt

InterMETAL - Informação profissional para a indústria metalomecânica portuguesa

Estatuto Editorial