Murrelektronik: Emparro fontes de alimentação de última geração
Informação profissional para a indústria metalomecânica portuguesa

Tecnologias desenvolvidas pela Bosch em Braga com papel fundamental para o futuro da condução autónoma

Bosch apresenta soluções neutras para o clima para todo o tipo de mobilidade na IAA Mobility 2021

07/09/2021

Na IAA Mobility 2021, em Munique, o fornecedor de tecnologia e serviços vai apresentar as suas soluções para mobilidade personalizada, automatizada, conectada e eletrificada. A Bosch vai estar no salão de exposições B3 no stand C30 e na área de bicicletas, no estacionamento Messe West e no centro da cidade em Königsplatz e Odeonsplatz. Certame começa esta terça-feira (7) e termina a 12 de setembro. 

foto

Em eletromobilidade, a Bosch tem múltiplas opções: de e-bikes a máquinas de construção, e de chips de carboneto de silício a módulos de eixo eletrónico pré-integrados. Uma área em que a empresa está a crescer duas vezes mais rápido que o mercado da eletromobilidade e vai gerar mais de mil milhões de euros em vendas este ano.

Em 2025, as vendas devem crescer cinco vezes. “A eletromobilidade está a tornar-se um negócio central para nós, e a mobilidade livre de CO2 uma área de crescimento. Estamos a transformar desafios em oportunidades - é assim que fazemos as coisas na Bosch”, disse Volkmar Denner, presidente do conselho de administração da Bosch, na IAA Mobility 2021 em Munique. Essas áreas de crescimento incluem também a condução autónoma, e a assistência ao condutor é a sua base. Com um aumento de 40%, a Bosch é líder de mercado Bosch e está a crescer mais rápido do que o mercado também neste campo.

A posição saudável da empresa nas áreas de eletromobilidade e condução autónoma está a ajudar a manter-se no caminho do sucesso num ambiente de mercado marcado pela crise da Covid, escassez de chips e a transformação ainda mais rápida da esfera da mobilidade: a receita de vendas da área de Soluções de Mobilidade vai crescer 10% este ano. “A Bosch é líder em tecnologia e isso significa sucesso nos negócios”, explica Denner.

Condução elétrica: inovação graças à alta tecnologia da Bosch

A eletromobilidade vai ser o próximo capítulo na história de sucesso da Bosch. Com investimentos de 5 mil milhões de euros até o momento, e as soluções de powertrain mais eficientes do mercado, a empresa está a contribuir para o caminho para a inovação. Só este ano, os investimentos vão ultrapassar os 700 milhões de euros. “Estamos a preparar-nos para o aumento da procura por veículos elétricos em todo o mundo. Esperamos que 60% de todos os veículos recém-registados em 2035 sejam elétricos”, afirma Stefan Hartung, membro do conselho de administração e presidente do setor de negócios de Soluções de Mobilidade.

No caso das e-bikes, há já dez anos que a Bosch tem vindo a mostrar que a inovação pode criar mercados. O objetivo da empresa é moldar a mobilidade do futuro, em toda a gama. “Deve ser compatível com o clima, mas também acessível e atraente, especialmente à luz das ambiciosas metas estabelecidas pela UE”, acrescentou Denner. “Só desta forma pessoas e mercadorias permanecerão móveis também no futuro”. Para tal, a Bosch continua a seguir uma abordagem neutra em termos de tecnologia, oferecendo soluções amigas do ambiente em todo o mundo e para todos os tipos de mobilidade, de acordo com os requisitos de cada política nacional.

A Bosch está a investir não apenas em grupos powertrains a bateria elétrica, mas também em powertrains de célula de combustível, e está envolvida em projetos de clientes na China, nos Estados Unidos e na Europa. Os primeiros camiões com tecnologia Bosch já estão nas estradas da China.

Ao conduzir veículo elétrico, o carregamento desempenha um papel decisivo. Em Munique, a Bosch está a lançar um novo cabo de carregamento flexível para carros elétricos. Possui tecnologia de controlo e segurança integrada e adaptadores para tomadas tipo 2 e domésticas. Mesmo quando carregado numa tomada de 230 volts, pode passar sem a outra caixa de controlo no cabo usual, o que significa que pesa menos de três quilos - cerca de 40 por cento menos do que cabos de carregamento convencionais com caixas de controlo. E para aliviar os condutores da tarefa de procurar um lugar para recarregar durantes as viagens, o serviço de carregamento baseado na web da Bosch permite o acesso a mais de 200.000 pontos de carga em toda a Europa - incluindo pagamento sem complicações.

Um cabo serve para tudo: carregamento em casa e na estrada até 22 kW

O cabo trifásico permite o chamado modo 2 e modo 3 de carregamento AC em até 22 quilowatts. Com o cabo flexível de carregamento inteligente, não há necessidade de uma caixa de parede ao carregar em casa. É isso o que os clientes desejam.

Na Europa, 84% dos condutores de carros elétricos carregam os seus veículos em casa à noite ou durante a noite (fonte: newmotion EV Driver Survey 2020). A tecnologia integrada em cada uma das tomadas torna o processo de recarga seguro e confiável. O conector tipo 2 na extremidade do cabo do veículo contém os componentes para controlar e monitorizar a energia de carga. Na outra extremidade, a ficha doméstico com adaptador abriga o controlo de temperatura e um dispositivo de corrente residual. Isso garante que não ocorra nenhuma sobrecarga ou superaquecimento, mesmo durante a recarga regular numa tomada elétrica doméstica com até 2,3 quilowatts de potência de carga. Se necessário, a tecnologia de segurança desativa o cabo antes que a situação se torne crítica.

Condução autónoma: a Bosch oferece tudo a partir de uma única fonte

Unidades de controlo de domínio, sensores, inteligência artificial: o portfólio da Bosch contém todos os elementos da condução e a empresa tem cerca de 5.000 engenheiros a trabalhar em todos os seus níveis. Entre esses elementos estão as funções de assistência aprimoradas que permitem aos condutores tirar as mãos do volante. E graças à Bosch também já são possíveis funções completamente sem a intervenção do condutor.

“Com projetos-piloto nas áreas de estacionamento autónomo, a Bosch estabeleceu padrões na Alemanha e nos Estados Unidos”, disse Denner. A Bosch já está a trabalhar com a Mercedes-Benz e outros parceiros na implementação dessa função no estacionamento P6 do aeroporto de Estugarda.

O novo Mercedes-Benz S-Class é o primeiro veículo de produção do mundo a apresentar a tecnologia necessária para isso. Para que os veículos sem condutor possam navegar pelo comando do smartphone até um lugar de estacionamento reservado, a Bosch está a equipar a garagem com tecnologia como câmaras de vídeo de instalação fixa. Espera-se que mais 1.000 garagens de estacionamento sigam o exemplo até 2025.

Para toda a conveniência extra associada a tais desenvolvimentos, a Bosch vê a condução autónoma, acima de tudo, como algo que pode tornar o tráfego rodoviário mais seguro. A Bosch foi pioneira em sistemas que vão desde o controlo eletrónico da derrapagem até à travagem automática de emergência e continua a perseguir o objetivo de uma condução sem acidentes. Ao mesmo tempo, a empresa está a fornecer software inovador como base para a inteligência que os automóveis necessitam ter.

“Mesmo na mobilidade do futuro dominada por software, a nossa profunda experiência em sistemas será uma vantagem: a Bosch está também confortável no que diz respeito ao mundo da eletrónica on-board e da internet das coisas, com a qual os carros estarão conectados”, explica Denner.

foto

Condução autónoma: pensar para além do capô do motor

No futuro, o software será tão importante quanto o desempenho ou a eficiência do powertrain. A Bosch está a moldar ativamente essa mudança e está bem posicionada para isso: quase metade dos colaboradores de I&D no setor de negócios de Soluções de Mobilidade são engenheiros de software. Até a bicicleta está a tornar-se parte da Internet, como evidenciado pela nova aplicação Bosch eBike Flow. Por exemplo, isto permite que o software em componentes seja atualizado. Além disso, a integração de software assume-se como cada vez mais importante: também aqui a Bosch tem a experiência necessária. Tendo como referência os computadores de infotainment: em 2025, o seu poder de computação e complexidade de software vão duplicar. A Bosch garante que os vários módulos de software funcionem de forma confiável uns com os outros.

Quando se trata de conectividade, as ideias da empresa vão muito além dos veículos. “A Bosch não é apenas sobre automóveis, tem também um elevado conhecimento sobre a fábrica e os ambientes domésticos. Como nenhuma outra empresa, podemos conectar domínios diferentes uns com os outros”, disse Hartung. Desde abril deste ano, os modelos da Mercedes-Benz com o assistente de voz MBUX têm também sido um centro de comando para aplicações de casa inteligente da Bosch. Do lugar do condutor, um comando de voz é suficiente para entrar em contato com a casa inteligente e desligar as luzes, abrir as cortinas e controlar o aquecimento. 

O futuro da mobilidade também se define a partir de Braga

Atualmente, mais de 450 engenheiros desenvolvem soluções que contribuem para uma mobilidade mais segura e confortável a partir de Braga para o mundo.

A equipa está focada, por exemplo, no desenvolvimento de tecnologia para que o veículo seja capaz de detetar o ambiente circundante e tomar decisões com base em inteligência artificial e sensores, como o sensor LiDAR e de sensores de condição de piso para a capacidade de perceção a 360º; o sensor “Automotive Precise Positioning” para a capacidade de localização; e, para a capacidade de atuação, o desenvolvimento do sensor de ângulo de direção e de sensores para controlo de motores DC de sistemas de direção.

A partir de Braga, a equipa de especialistas da Bosch tem tido um papel central e de impacto direto em todo o espectro de desenvolvimento do LiDAR, desde as camadas de abstração mais baixas (criação do Hardware e Ótica) até às camadas mais altas da Perceção (Compreensão do ambiente à nossa volta).

A Bosch em Braga está ainda focada no desenvolvimento de sensores inteligentes críticos como resposta às capacidades exigidas ao automóvel no contexto da condução autónoma: sensores de interior do veículo em contexto de veículos autónomos e veículos autónomos partilhados (SAV), comunicações V2X, aplicações para a conectividade dos veículos de duas rodas (2-wheelers) e o desenvolvimento do cockpit inteligente.

Jaba: tradução 4.0

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

intermetal.pt

InterMETAL - Informação profissional para a indústria metalomecânica portuguesa

Estatuto Editorial